quinta-feira, 5 de abril de 2012

Soneto do amor-de-sempre (Jehová de Carvalho)

Poeta baiano, nasceu na cidade de Santa Maria da Vitória, mudou-se para Salvador e lá sua obra foi marcada pelos aspectos modernistas.

Amo-te mais que a noite em que concebes —
enquanto sonho — o fruto que sonhei;
Mais que meus pés os passos que eu já dei
e ama o teu ventre o fruto que recebes.

Mais que o semeador a sua messe;
mais do que a valva a seiva pura e certa;
mais que o amor vegetal a terra aberta
do grão que em cada semeadura cresce.

Amo-te sobre o tempo e sobre a vida,
sobre o que for minh'hora indefinida
de amar-te mais do que a razão me importe.

Não basta a aurora e sua mensagem rubra
p'ra que este amor marcado se descubra
e seja mais amor dentro da morte.


(Jehová de Carvalho in Um passo na noite,1969)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)