quarta-feira, 30 de maio de 2012

Camilo Castelo Branco


A outra metade

Quando este corpo meu esfacelado
Baixar á leiva húmida da cova,
Hão de os jornais carpir a infausta nova,
Taxando-me de sábio consumado.

Estalará na imprensa enorme brado,
Pedindo a ressurgência d’um Canova
Que a morta face em mármore renova
Para insculpir meu busto laureado.

E algum dos imbecis necrologistas,
Com soluçantes vozes de saudade,
Dirá em ricas frases nunca vistas:

“Esse génio imortal, rei dos artistas,
No céu pede ao Senhor que a outra metade
Reparta por vocês, ó jornalistas!”


Caros leitores, esta é uma pequena homenagem ao romancista, cronista e poeta português Camilo Castelo Branco. Sua obra é predominantemente romântica, um de seus romances mais conhecidos é Amor de Perdição e na poesia destacou-se Nas Trevas. E a frase na imagem acima, acredito que traduz a essência da poesia, quem escreve sabe =)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)