quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Teu nome (Larissa Rocha)

Teu nome é para mim como uma prece
Chamo-o com uma adoração louca
Quando digo, sinto o que me parece
Uma carícia ao sair da minha boca
 
Posto que tu és como Deus
Teu nome não se fala em vão
Apenas sussurrado entre os lábios teus,
Um segredo guardado em meu coração.

 
À noite um suspiro tremulou no peito meu
Quando o disse em meu sonho – isto só eu sei.
Não me olhes assim... que culpa tenho eu?
Culpado é quem te deu esse nome de rei!
 
 
Teu nome que já foi meu mantra sagrado,
Mantive-o em segredo por amor
É o sinônimo de um sonho despedaçado...
Hoje só de ouvi-lo sinto uma pontada de dor!

Mais poemas meus em : http://www.astormentas.com/PT/par/poemas/Larissa%20Rocha

2 comentários:

  1. Amizade de ontem, mas que não chegou tarde, apesar de que: a porta de entrada inspirou-me na Poesia de Antônio Nobre em: "Vaidade Tudo Vaidade", mas não deixei de ler: "Teu Nome"... Cada um, Larissa! E sua oraginalidade.
    Um abraço dos, "Anônimos da Poesia e da Arte"

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelos seus comentários,
    abraço.

    ResponderExcluir

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)