segunda-feira, 20 de maio de 2013

De que me rio eu? Eu rio horas e horas (António Patrício)



De que me rio eu?... Eu rio horas e horas 
só para me esquecer, para me não sentir. 
Eu rio a olhar o mar, as noites e as auroras; 
passo a vida febril inquietantemente a rir. 

Eu rio porque tenho medo, um terror vago 
de me sentir a sós e de me interrogar; 
rio pra não ouvir a voz do mar pressago 
nem a das coisas mudas a chorar. 

Rio pra não ouvir a voz que grita dentro de mim 
o mistério de tudo o que me cerca 
e a dor de não saber porque vivo assim.

Quem vê teu riso, não imagina a dor que se esconde atrás dele! Rir para não chorar... Quem nunca?! Todos usam máscaras para esconder os verdadeiros sentimentos mas é bom as vezes chorar pois só assim descobrimos que, como diria Sérgio Jockyman, " O riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)