quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Deixei de ouvir-te (Maria do Rosário Pedreira)



Deixei de ouvir-te. 
E sei que sou mais triste com o teu silêncio. 

Preferia pensar que só adormeceste; mas 
se encostar ao teu pulso o meu ouvido 
não escutarei senão a minha dor. 

Deus precisou de ti, bem sei. E 
não vejo como censurá-lo 

 ou perdoar-lhe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)