segunda-feira, 24 de março de 2014

Ariel e Caliban (Larissa Rocha)



Um deles é o sopro de ar freso em perturbada mente,
O outro transforma em cinzas meu coração ardente
Um é o meu porto seguro, tranquilo e bondoso,
O outro é a inconstância de um mar revoltoso.

Como na Tempestade de Shakespeare, eles são
Assim tão diferentes, mas dividem meu coração 
Meu espírito é consumido por uma dúvida vã
E meu coração dividido entre Ariel e Caliban! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)