segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Extasis

O poeta baiano Franklin Dória nasceu em 1836 e formou-se em direito, representante do romantismo, encantado (e ofuscado) pelos grandes nomes da época, em especial Casimiro de Abreu e Junqueira Freire, publicou seus dois livros em 1874.

Quando meus olhos, solitário, prego
na cruz dos templos, na extensão dos céus,
alma atormenta-me infantil sossego;
eu penso em Deus!

quando um sorriso de esperança cheio
abre em meus lábios, e me acalma a dor,
feliz deveras na ilusão me creio;
eu penso no amor!

quando o que é belo, singular me encanta,
sinto prazeres que jamais senti;
luz-me entre graças uma imagem santa;
eu penso em ti!
(Franklin Dória)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)