sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Cantiga sua partindo-se

Esse é um belo poema da época do trovadorismo (século XV), quando predominava o amor cortês como podemos perceber pelo tratamento com que o eu lírico se referia à amada chamando-a de "senhora".



Senhora, partem tão tristes
meus olhos por vós, meu bem,
que nunca tão tristes vistes
outros nenhuns por ninguém.

Tão tristes, tão saudosos,
tão doentes da partida,
tão cansados, tão chorosos,
da morte mais desejosos
cem mil vezes que da vida.

Partem tão tristes os tristes,
tão fora d'esperar bem,
que nunca tão tristes vistes
outros nenhuns por ninguém.


(João Ruiz de Castelo Branco)

Um comentário:

  1. Show De poema! Não conhecia esse cara ai não (eusouburro)

    ResponderExcluir

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)