sexta-feira, 15 de junho de 2012

Desilusão (Larissa Rocha)


M.A.
Se esta mágoa sem fim
é por tanto te amar,
tenho ainda mais odio de mim
por não saber te desprezar.

odeio os versos meus
por só cantarem teus primores
não sei te dizer adeus
embora me cause tantas dores.

 tento me convencer
de que não te adoro mais
sinto logo o peito doer
sei que não sou capaz...

do amor que não vivi
só me resta saudade
derramei só por ti
cada gota de minha mocidade.

ando a chamar-te, amor
mas teu coração não escuta
o único remédio para esta dor
é um cálice de cicuta!

(Larissa Rocha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)