sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Senhora da Saudade

Senhora da saudade

Como eu vos quero bem, senhora da saudade!
lírio preto que sois pois viveis de preto,
parodiando um martírio estranho e predileto
de um torvo coração, vivendo na orfandade.

E assim não me quereis, senhora da saudade!
vós, toda compaixão, vós toda meu afeto,
nascida para estar num mundo mais secreto,
a partilhar Amor, Carinhos e Bondade.

e bem triste que sou e bem tristonho vivo,
cativo dessa Dama e dessa Flor cativo
eu tão velhinho já na minha mocidade!...

e ah! sonho de meu amor, estranhamente santo,
ouvi o que vos digo, estático de espanto:
- como eu Vos quero bem, senhora da saudade!...
(Euricles de Matos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)