segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Uma ligação para Helena

Essa é a minha favorita das que eu ja escrevi para http://olivrodofimdomundo.com.br/.

Era 16:15 quando soube da notícia do fim do mundo e eu só conseguia pensar em uma coisa,na verdade em alguém, Helena. Moro na Paraíba e ela em São Paulo, nos conhecemos pela internet mas a distância não impediu que eu me apaixonasse perdiamente por ela. Helena tem um sorriso assim meio que distraído mas capaz de tirar o fôlego de qualquer um. É uma imagem que não sai da minha cabeça: ela com a pele branca e os cabelos negros e ondulados caindo-lhe nos ombros. Passei noites em claro conversando online com ela, não acredito que vou morrer sem nunca ter visto Helena, sem nunca ter a tocado, uma vez juntos eu acordaria todos os dias mais feliz em saber que ela estaria ao meu lado. O mundo não poderia acabar sem que ela soubesse o que eu sentia então peguei o celular e deslizei as mãos trêmulas pelo touch screen procurando o número dela na memória,tinha gravado há um tempo atrás mas nunca liguei pois não tinha coragem, até aquele dia. Não era a mesma operadora que a minha o que tornava a ligação ainda mais cara mas naquele momento eu não me importava com isso.
Chamou uma vez...duas...ela atendeu:
- Alô?
- Helena! aqui é o Eduardo.
- Edu? que surpresa você me ligar.
Ela provavelmente não sabia ainda, continuei:
- Olha Helê, vai parecer loucura mas tem uma coisa que você precisa saber...
- Vai levar muito tempo? -ela me interrompeu- é que eu tô meio ocupada aqui além do mais você vai gastar uma grana com essa ligação.
- Não importa!! -gritei, e logo em seguida controlei meu tom de voz para não assustá-la- não importa quanto custa a ligação e seja o que for que você estiver fazendo não vai mais adiantar, a única coisa que importa é o que eu vou falar agora, tá?
- Esse papo tá muito doido mas parece importante,pode falar, tô ouvindo.
- Helê, eu te amo, não ri, eu te amo de verdade, queria estar aí com você, te abraçar e sentir seu cheiro, você é a garota mais incrível que eu já conheci.
Houve um breve silêncio do outro lado da linha, ela estava provavelmente tentando processar a informação então falou:
- Edu, eu não sei nem o que te dizer, só que eu tô apaixonada por você, eu tambem te amo.
- É um momento estranho para dizer isto mas eu gostaria de ter te conhecido melhor...
- Mas a gente vai poder se conhecer melhor, né?
- Não, tem mais uma coisa...o mundo...
- O que tem o mundo?
- O mundo vai acabar!
- O mundo vai o quê?
- Acabar! alô? Helena,Helena pode me ouvir? alô?
Ela não podia mais me ouvir. Não sabia quanto tempo ainda restava até dar 17:15, perdi completamente a noção do tempo mas foi assim que passei meus últimos minutos: sentado pensando em Helena e encarando um pedaço de papel amassado que tinha na mão,estava planejando dar a ela quando nos víssemos pela primeira vez, porém apenas meu corpo estava lá, minha mente viajou para um lugar onde Helena e eu poderíamos passear de mãos dadas e sermos felizes para sempre mas infelizmente aquele era o maldito dia 21/12/2012.
... O que diziam as letras quase apagadas do papel:

"A longa distância apenas serve para unir o nosso amor.
A saudade serve para me dar a absoluta certeza de que ficaremos para sempre unidos...
E nesse momento de saudade,
quando penso em você,
quando tudo está machucando o meu coração
e acho que não tenho mais forças para continuar;
eis que surge tua doce presença,
com o esplendor de um anjo;
e me envolvendo como uma suave brisa aconchegante...
Tudo isso acontece porque amo e penso em você..."
(William Shakespeare)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)